Home > Autores Clássicos > Arthur Conan Doyle

Os melhores 13 livros de Arthur Conan Doyle [PDF]

Nesta oportunidade, trazemos uma seleção com os melhores livros de Arthur Conan Doyle em formato PDF. Mas primeiro, um pouco de história sobre este escritor maravilhoso.

Em 22 de maio de 1859, Arthur Conan Doyle nasceu em Edimburgo, Escócia.

Embora a família de Doyle fosse altamente respeitada no mundo da arte, seu pai, Charles, que foi um alcoólatra vitalício, tinha poucas realizações para falar. A mãe de Doyle, Mary, era uma mulher animada, bem educada, que adorava ler. Como Doyle recordaria mais tarde em sua biografia, «Na minha infância, até onde me lembro de alguma coisa, as histórias vividas que ela me contou se destacam tão claramente que obscurecem os fatos reais da minha vida».

Aos 9 anos de idade, Doyle foi enviado à Inglaterra para Hodder Place, Stonyhurst, uma escola preparatória jesuíta, onde permaneceu de 1868 a 1870. Doyle então estudou no Stonyhurst College durante os próximos cinco anos. Decidiu, então, cursar medicina na Universidade de Edimburgo. Na faculdade de medicina, Doyle conheceu seu mentor, o Professor Dr. Joseph Bell, cujos apurados poderes de observação inspirariam Doyle a criar seu famoso personagem de detetive fictício, Sherlock Holmes.

Enquanto era estudante de medicina, Doyle fez sua primeira tentativa de escrever, com uma pequena história chamada «O Mistério do Vale de Sasassa». Seguiu-se uma segunda história, «The American Tale», que foi publicada em London Society.

Durante o terceiro ano da faculdade de medicina de Doyle, ele assumiu o cargo de cirurgião de navio num navio baleeiro que navegava ao redor do Círculo Ártico. A viagem despertou o senso de aventura de Doyle, um sentimento que ele incorporou numa história, «Capitão da Estrela do Norte».

Em 1880, Doyle retornou à faculdade de medicina. De volta à Universidade de Edimburgo, Doyle tornou-se cada vez mais dedicado ao espiritualismo ou «religião psíquica», um sistema de crenças que mais tarde tentaria propagar através de uma série de seus trabalhos escritos. Quando recebeu seu diploma de medicina em 1881, Doyle já havia denunciado sua fé católica romana.

O primeiro emprego pago de Doyle como médico foi a bordo do navio a vapor Mayumba, que viajou de Liverpool para a África. Depois de seu tempo no Mayumba, Doyle se estabeleceu em Plymouth, Inglaterra. Quando seus fundos estavam quase esgotados, ele se mudou para Portsmouth e abriu sua primeira clínica. Ele passou os próximos anos lutando para equilibrar sua crescente carreira médica com seus esforços para obter reconhecimento como autor. Mais tarde, Doyle abandonaria completamente a medicina, para dedicar toda sua atenção à sua escrita e sua fé.

Em 1885, enquanto ainda lutava para se tornar escritor, Doyle conheceu e casou com sua primeira esposa, Louisa Hawkins. O casal mudou-se para Upper Wimpole Street e teve uma filha e um filho. Em 1893, Louisa foi diagnosticada com tuberculose. Enquanto Louisa estava doente, Doyle desenvolveu um afeto por uma jovem chamada Jean Leckie. Louisa acabou morrendo de tuberculose nos braços de Doyle em 1906. No ano seguinte, Doyle casaria novamente com Jean Leckie, com quem ele teria dois filhos e uma filha.

Em 1886, recém-casado e ainda lutando para se tornar um autor, Doyle começou a escrever o romance misterioso «A Tangled Skein». Dois anos mais tarde, o romance foi rebatizado como «A Study in Scarlet» e publicado em Beeton’s Christmas Annual. Este trabalho introduziu pela primeira vez os personagens populares, o detetive Sherlock Holmes e seu assistente, Watson, e finalmente trouxe a Doyle o reconhecimento pelo qual ele ansiava.

Após ser diagnosticado com angina pectoris, Doyle ignorou as advertências de seu médico e, no outono de 1929, embarcou numa viagem espiritualista pela Holanda. Ele voltou para casa com dores no peito tão fortes que precisou de uma carona até a costa, e estava então quase completamente acamado em sua casa em Crowborough, Inglaterra. Subindo pela última vez em 7 de julho de 1930, Doyle desmaiou e morreu em seu jardim enquanto agarrava seu coração numa mão e segurava uma flor na outra.

1) As Aventuras de Sherlock Holmes

As Aventuras de Sherlock Holmes é uma coleção de doze contos de Arthur Conan Doyle, publicada pela primeira vez em 14 de outubro de 1892.

Contém as primeiras histórias com o detetive consultor Sherlock Holmes, que foi publicado em doze edições mensais da «The Strand Magazine» de julho de 1891 a junho de 1892. As histórias são coletadas na mesma sequência, o que não é compatível com nenhuma cronologia fictícia. Os únicos personagens comuns em todos os doze são Holmes e Dr. Watson e todos estão relacionados na narrativa em primeira pessoa do ponto de vista de Watson.

2) O Cão dos Baskervilles

Em O Cão dos Baskervilles, o Dr. James Mortimer pede conselhos a Sherlock Holmes depois que seu amigo Sir Charles Baskerville foi encontrado morto no parque ao redor de sua mansão nas charnecas de Dartmoor. A morte foi atribuída a um ataque cardíaco, mas de acordo com Mortimer, o rosto de Sir Charles reteve uma expressão de horror, e não muito longe do cadáver os rastros de um cão de caça gigante eram claramente visíveis.

Segundo uma antiga lenda, a família Baskerville tem sido amaldiçoada desde o tempo da Guerra Civil inglesa, quando um Sir Hugo Baskerville sequestrou e assassinou uma mulher na mira de Dartmoor, apenas para ser morto por um enorme cão de caça demoníaco.

Supostamente, a mesma criatura tem assombrado o lugar desde então, causando a morte prematura de muitos herdeiros Baskerville. Sir Charles acreditava na praga do cão de caça e Mortimer também, que agora teme pelo próximo na fila, Sir Henry Baskerville.

3) Um Estudo em Vermelho

O Um estudo em vermelho marca a primeira aparição de Sherlock Holmes e Dr. Watson, que se tornaram a dupla de detetives mais famosa da ficção popular.

O título do livro deriva de um discurso proferido por Holmes, um detetive consultor, a seu amigo e cronista Watson sobre a natureza de seu trabalho, no qual ele descreve a investigação de assassinato da história como seu «estudo em vermelho: Há o fio escarlate do assassinato correndo pela meada incolor da vida, e nosso dever é desvendá-lo, isolá-lo e expor cada centímetro dele».

4) O Mundo Perdido

Em O mundo perdido Edward Malone, um jovem repórter do Daily Gazette, pede a seu editor uma perigosa tarefa para impressionar a mulher que ama.

Sua missão é aproximar-se do famoso professor Challenger, que não gosta da imprensa. O assunto será sua recente expedição sul-americana, rodeada de controvérsia. Para não ser imediatamente rejeitado, Malone se disfarça de estudante e ao encontrar o professor, se assusta com seu físico intimidante, mas acredita que sua artimanha está funcionando.

Depois de confirmar que o conhecimento científico de Malone não existe, Challenger explode de raiva e o expulsa à força. Malone ganha seu respeito por não apresentar queixa. Assim que o Challenger decide contar a Malone a verdade sobre o mundo dos dinossauros que ele descobriu.

5) A volta de Sherlock Holmes

A volta de Sherlock Holmes escrito por Arthur Conan Doyle no ano 1905. Este conto narra o retorno triunfante do detetive mais amado da literatura policial, isto acontece dez anos depois da última coletânea.

A volta de Sherlock Holmes reúne os 13 contos originalmente publicados na Strand Magazine, entre outubro de 1903 e dezembro de 1904: A casa vazia; O construtor de Norwood; Os dançarinos; O ciclista solitário; A Escola do Priorado; Black Peter; Charles Augustus Milverton; Os seis Napoleões ; Os três estudantes; O pincenê de ouro; O atleta desaparecido; A Granja da Abadia e A segunda mancha. Sendo assim uma edição muito especial para seus seguidores.

6) O Último Adeus de Sherlock Holmes

O Último Adeus de Sherlock Holmes reúne as histórias publicadas entre 1908 e 1917 e foi o penúltimo livro lançado sobre o detetive, mas, os contos reunidos trazem um sopro de inovação e surpresas.

Este livro conta histórias de diferentes épocas da vida do detetive, desde o começo de sua amizade com Dr. Watson até o momento em que os dois amigos se encontram já um pouco mais velhos. O relacionamento entre Holmes e Watson está muito mais forte e maduro. Eles já são amigos há décadas e já não têm aquela polidez um com o outro das primeiras histórias.

Neste livro são reunidos apenas 07 contos (A Vila Glicínia; O Círculo Vermelho; Os Planos de Bruce-Partington; O Detetive Moribundo; O Desaparecimento de Lady Frances Carfax; O Pé do Diabo; Seu Último Adeus) e todos tem suas peculiaridades e finais únicos.

7) Um escândalo na Boêmia

Um escândalo na Boêmia é o primeiro conto, e terceiro trabalho em geral, apresentando o detetive fictício de Arthur Conan Doyle, Sherlock Holmes. É o primeiro de 56 contos de Holmes escritos por Doyle e o primeiro de 38 trabalhos de Sherlock Holmes ilustrados por Sidney Paget.

A história é notável por apresentar a personagem de Irene Adler, que é uma das mais notáveis personagens femininas da série Sherlock Holmes, apesar de aparecer em apenas uma história. Doyle classificou «Escândalo na Boêmia» em quinto lugar em sua lista de suas doze histórias favoritas de Holmes.

Foi publicado pela primeira vez em 25 de junho de 1891 na edição de julho da «The Strand Magazine».

8) A nova revelação

A nova revelação de Arthur Doyle publicada em 1918 trata sobre o espiritualismo. No qual procura desvendar os mistérios da natureza íntima e o aspecto religioso, por meio de palestras e conferências em que expunha e analisava os fenômenos psíquicos e suas consequências espirituais.

O início da história conta uma breve biografia do escritor e mostra suas primeiras impressões sobre os fenômenos espirituais surgidos a partir de meados do século XIX. O tema central descreve a vida e os atos de Sir Arthur Conan Doyle, a par do reino britânico, que renunciou ao seu título para não renegar a crença espírita. Do mesmo modo, relata seus esforços na propaganda do Espiritismo como religião e nas pesquisas que o convenceram da realidade dos fenômenos.

Neste livro você encontrará respostas muito interessantes que lhe abrirão um novo caminho de compreensão do mecanismo de nossa existência.

9) A vampira de Sussex e outras aventuras

A vampira Sussex e outras aventura é um dos contos do Sherlock Holmes. Foi escrito por Sir Arthur Conan Doyle e publicado na coleção The Sherlock Holmes Archive. O Vampiro Sussex é um dos 56 contos de Sherlock Holmes escritos pelo autor britânico Sir Arthur Conan Doyle. É uma das 12 histórias do ciclo conhecido como The Sherlock Holmes Archive e foi publicada em 1924.

Nesta vez, Sherlock Holmes vai resolver dois casos sobre o vampirismo na Inglaterra do século XIX. Um deles é sobre uma mãe que bebe o sangue do pescoço de seu bebê recém-nascido, ela o faz constantemente e em segredo de seu marido inglês, o Sr. Ferguson. Quando seu marido a descobre, ela se tranca em seu quarto com ilusões de insanidade, enquanto o Sr. Ferguson observa seu sonho familiar desvanecer-se sem explicação. O Sr. Ferguson recorre a Sherlock Holmes e ao Dr. Watson para obter ajuda para desvendar a verdade.

10) A Coroa de Berilo

Um banqueiro, Sr. Alexander Holder de Streatham, faz um empréstimo de £50.000 a um cliente socialmente proeminente, que deixa A coroa de berilos, um dos mais valiosos bens públicos existentes, como garantia.

Holder sente que não deve deixar esta jóia rara e preciosa em seu cofre pessoal no banco, então ele a leva para casa para ficar em segurança. Ele é despertado durante a noite por um ruído, entra em seu camarim e fica horrorizado ao ver seu filho Arthur com a coroa em suas mãos, aparentemente tentando dobrá-la.

A sobrinha do Holder Mary chega ao som de todos os gritos e, vendo a coroa danificada, desmaia. Faltam três berlindes. Em pânico, o Sr. Holder viaja para ver Holmes, que concorda em aceitar o caso.

11) O cliente ilustre

O cliente ilustre é um dos 56 contos sobre Sherlock Holmes escritos por Arthur Conan Doyle. Foi publicado originalmente na The Strand Magazine e posteriormente coletado na coleção The Sherlock Holmes Archive.

O caso abre em 3 de setembro de 1902. Watson e Holmes estão descansando nos banhos turcos quando recebem uma carta de Sir James Damery. Um personagem sem coração e corrupto, o Barão Adelbert Gruner, está prestes a se casar com Violet de Merville, a filha do famoso general, e Holmes e Watson devem detê-lo a todo custo.

Holmes e Watson juntam forças para deter este infame personagem o qual causará muitos problemas durante a trama. No entanto, com a astúcia de Holmes, conseguiram seguir em frente.

12) O detetive moribundo

O Dr. Watson é chamado para atender Holmes O detetive moribundo, que aparentemente está morrendo de uma doença tropical rara, a febre Tapanuli, contraída durante um caso. Watson fica surpreso, nunca tendo ouvido falar da doença de seu amigo. A Sra. Hudson diz que Holmes não tem comido ou bebido nada há três dias.

Holmes diz a Watson para ficar longe dele, pois a doença é altamente infecciosa. Na verdade, ele despreza o tratamento que Watson lhe dá e insulta suas habilidades, chocando e ferindo o médico.

Embora Watson deseje examinar o próprio Holmes ou chamar um especialista, Holmes exige que Watson espere várias horas antes de procurar ajuda.

13) As Cinco Sementes de Laranja

Um jovem cavalheiro chamado John Openshaw tem uma história esquisita: em 1869, seu tio Elias Openshaw havia retornado subitamente à Inglaterra para se estabelecer numa propriedade em Horsham, West Sussex, depois de viver por anos nos Estados Unidos como plantador na Flórida e servir como coronel no exército confederado.

Não sendo casado, Elias havia permitido que seu sobrinho ficasse em sua propriedade. Ocorriam estranhos incidentes; um deles era que, embora John pudesse ir a qualquer lugar da casa, ele nunca poderia entrar num quarto fechado que continha as botas de seu tio. Outra peculiaridade foi que em março de 1883 chegou uma carta carimbo postal de Pondicherry, na Índia, para o Coronel, que apenas inscrevia «K. K. K.» com As Cinco Sementes de laranja dentro.