Home > Autores Clássicos > Charles Perrault

Os melhores 9 livros de Charles Perrault [PDF]

Hoje apresentamos uma coleção dos melhores 9 livros de Charles Perrault. Mas antes, falamos um pouco sobre a vida deste renomado escritor francês.

Charles Perrault nasceu em 12 de janeiro de 1628 em Paris, França. Ele nasceu numa família burguesa rica, o sétimo filho de Pierre Perrault e Paquette Le Clerc. Ele frequentou escolas muito boas e estudou direito antes de iniciar uma carreira no serviço público, seguindo os passos de seu pai e de seu irmão mais velho Jean.

Ele foi um poeta, prosador e contador de histórias francês, um dos principais membros da Académie Française, que desempenhou um papel de liderança numa controvérsia conhecida como a disputa entre os Antigos e os Modernos.

Ele participou na criação da Academia de Ciências e na restauração da Academia de Pintura. Em 1654, ele se mudou com seu irmão Pierre, que havia adquirido o cargo de chefe de cobrança de impostos da cidade de Paris. Quando a Academia de Inscrições e Belas Letras foi fundada em 1663, Perrault foi nomeada sua secretária e serviu sob o comando de Jean Baptiste Colbert, ministro das finanças do rei Luís XIV. Jean Chapelain, Amable de Bourzeys e Jacques Cassagne (o bibliotecário do rei) também foram nomeados.

Charles Perrault trabalhou primeiro como funcionário público responsável pelos edifícios reais. Ele começou a ganhar reputação literária por volta de 1660 com alguns versos leves e poesia de amor e passou o resto de sua vida promovendo o estudo da literatura e das artes.

Em 1671 ele foi eleito membro da Académie Française, que logo se viu fortemente dividida pela disputa entre os antigos e os moderados. Perrault apoiou os moderados, que acreditavam que, à medida que a civilização avança, a literatura evolui com ela e que, portanto, a literatura antiga é inevitavelmente mais tosca e mais bárbara do que a literatura moderna.

Seu poema Le Siècle de Louis le Grand (1687; “A Era de Luís o Grande”) colocou escritores modernos como Molière e François de Malherbe acima dos autores clássicos da Grécia e Roma. Seu principal oponente nesta controvérsia foi Nicolas Boileau. A posição de Perrault foi um marco na rebelião finalmente bem-sucedida contra os limites da tradição prevalecente.

Os contos de fadas de Perrault em «Mae Gansa» foram escritos para divertir seus filhos. Eles incluem «Chapeuzinho Vermelho”, «A Bela Adormecida», «O gato de botas» e «Barba Azul», versões modernas de contos populares meio esquecidos, que Perrault recontou em um estilo simples e não afetado.

Perrault morreu em 16 de maio de 1703 em Paris, França.

1) Barba Azul

Barba Azul é um conto popular francês, cuja versão sobrevivente mais famosa foi escrita por Charles Perrault e publicada pela primeira vez por Barbin em Paris, em 1697, em Histoires ou contes du temps passé.

O conto conta a história de um homem rico com o hábito de assassinar suas esposas e as tentativas de uma esposa de evitar o destino de seus antecessores.

«A Pomba Branca», «O Noivo Assaltante» e «O Pássaro Fitcher» (também chamado de «Ave de Fowler») são contos semelhantes a «Bluebeard». A notoriedade do conto é tal que Merriam-Webster dá à palavra «barba azul» a definição de "um homem que se casa e mata uma esposa após outra", e o verbo «barba azul» apareceu até mesmo como uma forma de descrever o crime de matar uma série de mulheres, ou de seduzir e abandonar uma série de mulheres.

2) A Gata Borralheira

A Gata Borralheira é um conto de fadas de origem popular publicado por Charles Perrault no século XVII muito conhecido a nível mundial e traduzido em muitos idiomas. Sua protagonista é Cinderela quem mora com sua madrasta e duas irmãs detestáveis, ela é obrigada a fazer todos os trabalhos domésticos.

Um dia, o rei anuncia um baile com o fim de encontrar uma namorada para seu filho. Cinderela, queria ir, mas sua madrasta o proíbe. Ela fica magoada e muito triste, é aí onde aparece sua fada madrinha que com sua magia torna possível sua ida ao baile, mas com uma só condição...

É a partir desse dia do baile que a vida de Cinderela dá um giro e o amor bate à porta.

3) O Pequeno Polegar

Polegarzinho é um dos oito contos de fadas publicados por Charles Perrault em Histoires ou Contes du temps passé (1697), hoje mundialmente conhecido.

Neste conto, o menino derrota o ogre. Este tipo de conto de fadas, na tradição oral francesa, é frequentemente combinado com motivos do tipo heróico, semelhantes aos de Hansel e Gretel; um desses contos é Os meninos perdidos.

Polegarzinho é o mais novo de sete crianças da família de um lenhador pobre. Sua maior sabedoria compensa a sua pequenez. Quando as crianças são abandonadas pelos pais, ele encontra uma variedade de meios para salvar sua vida e a de seus irmãos. Após ser ameaçado e perseguido por um ogre, Polegarzinho rouba suas botas mágicas de sete léguas enquanto o monstro dorme.

4) Pele de Burro

Pele de burro é um conto de fadas escrito em verso pelo autor nascido na França.

Um rei tinha uma bela esposa e um rico castelo, incluindo um maravilhoso burro cujos excrementos eram feitos de ouro. Um dia sua esposa morreu, depois de fazê-lo prometer que não se casaria, exceto com uma mulher cuja beleza e atributos combinavam com os dela. O rei ficou de luto, mas com o tempo foi persuadido a encontrar outra esposa. Ficou claro que a única mulher que iria cumprir a promessa era sua filha.

Para evitar o casamento, a princesa foi até sua fada-madrinha que a aconselhou a usar a pele de burro para se disfarçar e desaparecer. Foi assim que a princesa conheceu um príncipe, e seu pai se casou com outra mulher.

5) As Fadas

As fadas contam a história de uma viúva velha e mal-humorada que tinha duas filhas; sua filha mais velha, Fanny, era desagradável e orgulhosa, mas parecia e se comportava como sua mãe, e por isso era sua filha favorita; sua filha mais nova, Rose, era doce, gentil e bonita, mas se parecia com seu falecido pai. Ciumenta e amarga, a viúva e sua filha favorita abusaram e maltrataram a mais nova.

Um dia, graças à sua bondade, a fada abençoou Rose com uma jóia, um metal precioso ou uma bela flor que caía de sua boca toda vez que ela falava.

A viúva queria o mesmo para Fanny, mas sem que ela soubesse, ela falou rudemente com a fada e a insultou. A fada decretou que, como castigo por sua atitude desprezível, um sapo ou uma cobra cairia da boca de Fanny toda vez que ela falasse.

6) Riquete do Topete

Na versão de Charles Perrault, uma fada dá a um príncipe feio chamado Riquete the Topete o dom da sagacidade àquele que ele mais ama.

O Príncipe Riquete do Topete chega a um reino com duas princesas. O mais velho é bonito, mas não muito inteligente e o mais novo é inteligente, mas feio. A princesa mais velha está triste porque sua irmã feia, mas inteligente recebe mais atenção do que ela, mas tudo isso vai mudar, assim como a vida de todos no reino.

7) Chapeuzinho Vermelho

Chapeuzinho Vermelho é um conto de fadas clássico, cujas origens podem ser traçadas a fábulas europeias do século X. Publicada pela primeira vez pelo francês Charles Perrault, e depois pelos Irmãos Grimm (da versão mais conhecida) sendo assim uma das fábulas mais conhecidas em todo o mundo.

O nome do conto vem da protagonista, uma menina que usa um capuz vermelho A história de Perrault retrata uma "moça jovem, atraente e bem educada", esta história trata-se de uma menina que ao sair de sua aldeia é enganada pelo lobo, que come a velha e arma uma armadilha para a menina que termina sendo devorada, sem final feliz.

Este conto foi escrito com o fim de levar uma moral às mulheres para perceberem os avanços de maus pretendentes e sedutores.

8) A Bela Adormecida

A Bela Adormecida escrita no final do século XVII por Charles Perrault tem sido adaptada inúmeras vezes e tem sido traduzida em diferentes idiomas. Essa história, com tantas outras do mesmo gênero, tornaram-se atemporais. Sua leitura pode resgatar a dimensão expressiva da linguagem, o saber ouvir, a troca de experiências e possibilitar, também, um percurso no imaginário infantil.

O objetivo no início desta história foi entreter as filhas do rei de França no final do século XVII e é aí que o autor criou a história de uma linda princesa que recebe, entre os dons oferecidos por suas madrinhas, o pronunciamento de uma maldição que deverá ser cumprida quando ela completar 15 anos.

A Bela Adormecida é o conto muito querido pelas crianças com uma história de amor muito bonita, já que graças a um príncipe corajoso que consegue encontrar o castelo e com isso encontrar a princesa adormecida.

9) O gato de botas

O Gato de Botas é um conto literário italiano e posteriormente europeu sobre um gato antropomórfico que usa truques para ganhar poder, riqueza e a mão de uma princesa em casamento para seu pobre e despossuído mestre.

Esse conto é o relato mais antigo do autor italiano Giovanni Francesco Straparola, que o incluiu nas Noites Joculares de Straparola (c. 1550-1553) nos séculos XIV-15. Outra versão foi publicada em 1634 por Giambattista Basile sob o título Cagliuso, e Charles Perrault (1628-1703), funcionário público aposentado e membro da Académie française, escreveu um conto em francês no final do século XVII.

O conto apareceu num manuscrito escrito à mão e ilustrado dois anos antes de sua publicação em 1697 por Barbin, numa coleção de oito contos de fadas de Perrault chamados Histoires ou contes du temps passé. O livro foi um sucesso imediato e continua sendo popular.